sábado, 24 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Acabou... É penta!

Olá pessoal!

Coma é penta!

Agora o piloto da Cataluña junta-se à seleta lista dos que ao final da aventura fizeram este mesmo sinal com a mão, são eles:
Stephane Peterhansel - o "monsieur Dakar" - que venceu não 5 mas 6 vezes, em 91, 92, 93, 95, 97 e 98, sempre pilotando a Yamaha YZE850T


Ciryl Neveu - venceu em 79 e 80 pilotando uma Yamaha XT500, em 82 com uma Honda XL500 e em 86 e 87 com a NXL750V.


FDP Cyril Despres - venceu em 2005, 07, 10, 12 e 13 sempre com a KTM.


E a KTM acumula agora 14 vitórias na competição e nenhum outro fabricante tem esta marca. A Mitsubishi tem 12 vitórias e a Kamaz tem 11.

Mas a Honda voltou ao pódio com Paulo Gonçalves e, além de várias coincidências, isso é muito relevante.
Vejamos...

  1. o último pódio da marca foi em 1994 (3 lugar atrás da dobradinha histórica das Cagivas de Edi Orioli e Jordi Arcarons).
  2. único ano em que a largada e chegada foram em Paris.
  3. o piloto era o francês Fabrizio Meoni, protagonista daquela história com David Casteu.
  4. Meoni também foi o primeiro piloto a levar a KTM à vitória em 2001.
  5. 1994 também foi o primeiro ano em que a KTM "arranhou" o pódio, com Angelo Cavandoli "Il Centauro", falecido no mesmo ano durante o Rally da Tunísia.

Além disso este ano 10 Hondas terminaram a competição, quantidade só superada pela KTM.
Sinceramente... não fossem os problemas com Barreda, acho que este ano o reinado teria terminado. Vamos ter que esperar mais um ano prara ver...
Penso que o que marcou o Dakar deste ano foi a travessia do salar.
Historicamente a dança das cadeiras nas 10 primeiras posições começa mais agitada e vai se acalmando, com mudanças acontecendo por abandono ou penalização, mas nesta etapa foi diferente. Vejam abaixo:

Jean de Azevedo, o único brazuca este ano, terminou em 22º e Laia Sanz em 8º. Vou repetir uma frase do post de fechamento do Dakar 2013: Nunca uma mulher terminou o Dakar em uma posição tão boa quanto esta!

Em 2016 Coma vai ter a chance de igualar a marca de Peterhansel mas quem sabe Barreda com a Honda ou Olivier Pain com a Yamaha surpreendem nesta festa...

Vamos aguardar.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Faltam só duas etapas

Olá pessoal!

Ainda está longe de se encerrar a discussão sobre a etapa que atravessou o salar de Uyuni pois novas informações vão chagando.
Villadoms, que junto com Casteu ajudaram Coma a seguir na competição no primeiro ponto de abastecimento foi forçado a abandonar neste mesmo lugar pois sua moto não funcionou mais. Ele declarou que a causa foi o dano pelo sal na parte elétrica e que várias motos tiveram o mesmo problema. Disse também que os bolivianos que se aglomeravam para assistir não cansavam de avisar de que não se podia atravessar o salar molhado.
Comentavam também que a situação se agravou pois estavam no meio de uma etapa marathon, sem condições de preparar as motos para enfrentar tal desafio e sem condições de eles mesmo se prepararem de forma adequada pois nem sequer roupas tinham para suportar as baixas temperaturas.
Joan Pedrero informou que os pilotos tinham 2 roadbooks naquela manhã. Um deles contornava o salar e o outro atravessava.
Abaixo um recorte de vídeo que mostra ao mesmo tempo imagens bonitas e outras que deixam ver o terrível que foi aquela etapa.

Apesar disso tudo, os cães ladram e a caravana passa e já tivemos 3 etapas depois disso e para a Honda a palavra agora é Estratégia.
Nos 2 últimos dias observamos que Barreda está correndo com objetivo de apoiar Paulo Gonçalves, e parece que está dando certo, pois o piloto português está diminuindo paulatinamente a diferença com Coma, mas vai ser difícil pois o português acumulou untem uma penalização de 16min por troca de motor, ele pegou o motor de Barreda e este, por sua vez, pegou o de Israel Esquerre, isso tudo ainda na famigerada noite em Yuhuni.

O vídeo é um pouco "pesado" (23Mb) mesmo assim decidi publicá-lo.
Acho que retrata bem o que foi esta etapa no salar.
Os créditos vão para a RTVE (tv espanhola).

video


Hoje 79 pilotos largam para a 12 etapa que os leva de volta para a Argentina.
A classificação está assim:
1 COMA
2 GONÇALVES +00:21:12
3 PRICE +00:31:43
4 QUINTANILLA +00:33:15
5 SVITKO +00:48:07
6 FARIA +01:40:43
7 CASTEU +01:46:51
8 SANZ +02:13:20
9 JAKES +02:24:46
10 PAIN +02:55:17
Jean de Azevedo vem em 22°

Seguimos acompanhando.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Etapa desumana

Olá pessoal!

A etapa de ontem foi histórica no Dakar.

Os pilotos vinham da etapa 07, na qual Barreda caiu e quebrou o guidão.
Saíram do nível do mar e subiram a 3.658m de altitude para encarar um acampamento sem assistência, pois a etapa era marathon.
Dá pra piorar?
É claro!
Adicione chuva e frio.
Choveu quase toda a noite, pela manhã a temperatura era de -2° e havia nevoeiro.

Joan Barreda já vinha muito indignado com a organização, sobre a qual depositou a culpa pelo tombo que levou.
Explico.
Sempre que o trajeto atravessa alguma zono povoada a velocidade máxima permitida é limitada a 100, 80 ou 60Km/h, dependendo da situação. Isso é indicado no roadbook.
O roadbook também sinaliza perigos. Um buraco ou depressão é sinalizado com pontos de exclamação. Um, dois ou três pontos, dependendo do nível de risco, ou seja, do tamanho do buraco.

Este ai acima sinaliza perigos nível 2 e 3.

Lembram que os carros já tinham passado por estes caminhos no dia anterior, e com chuva.
Pois Barreda e Coma estavam saindo juntos da área de velocidade controlada.
Hora de fazer o que?
Acelerar!
O roadbook sinalizava perigo à frente com 1 ponto de exclamação.
Para os pilotos de ponta uma exclamação e nada é a mesma coisa. Passam com o cabo todo enroscado.
Acontece que o risco era um antes dos carros passarem...
Barreda disse que deveriam ter alterado para 2 ou 3.
Deu no que deu...

Falando mais um pouco da etapa 8...
Algumas pessoas têm um histórico de postura desportista que nos permite antever uma atitude.
A cena é a seguinte:
2 pilotos numa reta, o de trá vinha a uns 25m no meio da poeira.
O da frente vê um cachorro na pista e desvia pela esquerda, olha pra trás e levanta o braço, sinalizando para quem vem atrás o perigo.
Quem é o da frente e quem é o de trás?


Casteu e Esquierre, que largaram em 8° e 9° e a esta altura estavam disputando posição.
Vocês lembram de Casteu não é?
Fiquem ligados que tem mais...

Eis que amanhece o dia e se aproxima a saída para a 9ª etapa.
Como falei antes, muito frio, nevoeiro e chuva.
A organização já havia reduzido 368 dos 782km originais desta etapa.
Houve um "princípio de motim", se é que se pode dizer isso.
Os pilotos reclamavam muito e tentavam convencer a organização a cancelar esta etapa.
Laia dizia "Não temos roupa! Estamos congelados!"
Etienne Lavigne dizia "Não te preocupes, não há neve, não há nada (no trajeto), não está chovendo, está como aqui (nublado)."
Paulo Gonçalvez dizia "Eles (ASO) querem fazer o show. Já venderam. Mas não somos cachorros que o dono manda e ele faz. Correr assim é matar-se."
Barreda reafirmava "Assim não se pode partir. Arriscamos a vida! É incrível! Não podemos correr assim."
Coma propôs "Saímos, andamos 5km e voltamos todos."
Vários pilotos estavam usando sacos plásticos, desses de lixo, por cima das roupas para tentar amenizar o frio.

É muito comum um piloto que tenha se sentido prejudicado de alguma forma pressionar a organização, mas neste caso, que seguramente vai para a história, a voz de protesto era unânime.
Depois de muita discussão acabaram largando. Em linha de 30 para alcançar velocidades acima de 140km/h neste mar de sal.


O Salar é um deserto plano onde a areia foi substituída pelo sal.
Acontece que andar num lugar desses quando está molhado gera terríveis problemas nas motos.
Superaquecem, pois o sal fecha os radiadores e apresentam diversos problemas elétricos.
Joan Pedrero disse que parou logo depois de atravessar o salar porque sentia muito frio e não conseguia frear.
Haviam 4 pontos de reabastecimento e as motos devem abastecer com o motor desligado.
No primeiro ponto, após os primeiros 100km de sal, após abastecidas as motos não ligavam mais.
Coma argumentava com Etienne "Cancele a etapa. Não tem nenhuma moto funcionando!"
Coma estava visivelmente muito irritado.
Que fez a moto dele funcionar foram Jordi Villadoms e Dadid Casteu (de novo).


Enfim, largaram 110 e chegaram 82.
Um dos abandonos foi de Gerard Farres foi resgatado com sintomas de hipotermia (ele e outros 46 com os mesmos sintomas), mas já passa bem.
Quintanilla chegou na frente seguido por Joan Pedrero e Svitko. Laia chegou em 5°, Coma em 9°, Casteu em 11°, Jeand de Azevedo em 51° e Barreda em 80° rebocado por Esquerre desde a primeira parada para reabastecimento.



A Honda de Barreda é única. Preparada pela fábrica especialmente para esta competição, leva muita tecnologia de MotoGP e muita eletrônica embarcada. Um comentarisata espanhol disse que a eletrônica embarcada tem vantagens enormes sobre os sistemas convencionais, mas quando dá problema o que se precisa não é de um mecânico mas de um engenheiro. Eu adiciono que além do engenheiro é necessário computadores, scaners, sensores, etc. Por este motivo alguns pilotos ainda optam por motos carburadas neste tipo de competição.

Ainda resta comentar a etapa de ontem, mas vou ficando por aqui.



Seguimos acompanhando.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Barreda cai e cede tempo

Olá pessoal!

Depois do descanso no sábado os pilotos de moto encararam uma etapa bastante dura em um tour pela Bolivia.
Normalmente as motos são as primeiras a passar pelos caminhos, e somente depois das 40 primeiras começam a sair os quadriciclos, os carros só saem alguns minutos depois da última moto haver partido e os caminhões vêm no final.
Como no sábado o descanso foi só para as motos e quads, o percurso entre Iquique e Uyuni foi todo "pisoteado" pelos carros e para piorar um pouco foi um dia de chuva em vários lugares.
Além disso tudo, o acampamento em Iquique foi a nivel do mar e o em Uyuni a 3.656m de altitude.

A etapa foi vencida por Paulo Gonçalves chegando depois dele Coma (00:14) e Walkner(00:30). Barreda chegou em 12°, Casteu em 15°, Laia em 21° e Jean de Azevedo em 31°.
Helder Rodrigues foi o primeiro a largar mas Coma já passou na frente no 3° CP.
Coma largou em 6° e Barreda em 7°. Passaram o primeiro CP em 2° e 3° com diferença de 6s entre os 2. Esta curta diferença menor que 1min se manteve até o CP4 pois no CP5 a diferença subiu para quase 2min e 5min no CP6. No final Coma conseguiu recuperar 05:59 e a diferença entre os dois espanhóis caiu para 06:28.

Barreda comprou um terreno na Bolívia na altura do Km200, próximo do CP5.
O tombo foi feio.
Em entrevista Coma disse "Depois de alcançar-lo decidi seguir atrás dele e, na saída de um povoado, ao terminar uma zona de velocidade controlada, Joan saiu rápido e o vi voar. Parei para ver como estava e logo segui sem arriscar muito. Pelo tombo e como ficou a moto, ele se saiu bastante bem. Era um tombo para tirá-lo da competição."
Estamos na metade da competição, Barreda vem mantendo estes 10 ou 12min sobre Coma desde a segunda etapa. Eis que Coma vê Barreda cair logo à sua frente e o que ele faz? Pára e só continua depois que ouviu Barreda dizer que estava bem. Esse é o espírito!
Sabe, FDP Despres não faz nenhuma falta.

Quebrou o lado esquerdo do guidão e Barreda precisou fazer o resto da etapa sem embreagem e pilotando com uma mão só.


Villadoms e Esquierre tomaram 40min de penalização por deixarem de passar por um waypoint e Duclos tomou 15min por haver trocado o motor de sua Sherco.
A classificação hoje é:
BARREDA
COMA       00:06:28
GONÇALVES      00:10:59
QUINTANILLA   00:25:16
PRICE       00:29:20
RODRIGUES       00:33:56
SVITKO       00:40:23
FARIA       00:40:55
DUCLOS       01:05:31
CASTEU       01:16:52

Hoje a largada da especial, a mais longa do ano com 784Km, foi em linha e os 30 primeiros colocados largaram todos juntos às 08h05. A largada, prevista para as 06h30 foi atrasada em virtude das condições de tempo. Barreda largou usando o guidão do argentino Demian Guiral.

Seguimos acompanhando!

domingo, 11 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Barreda continua segurando a Honda na ponta

Olá pessoal!

Ontem finalizou a 6ª etapa e BangBang Barreda segue na frente!

A etapa de quinta foi vencida por Coma, que descontou 2min de Barreda que ontem devolveu o tempo e se manteve 12min à frente de Coma na geral.
Nesta última etapa quem resolveu enrroar o cabo e apontar o nariz prolugar certo foi Helder Rodrigues. O português venceu esta etapa 2min à frente do outro portuga Paulo Gonçalves e pulou do 10° para o 5° lugar na geral.
Mandou muito bem!
Hoje foi dia de descanso, e é bom que aproveitem pois vem ai um sufoco com a especial mais longa: 781Km!

Se o bicho está pegando, o negócio é correr o mais rápido possível, mas se você tem alguma vantagem sobre "o bicho" ai dá para traçar alguma estratégia e até perder algum tempo. Pois foi isso que fez Joan Barredan na etapa de quinta.
Foi dia de encarar fesh-fesh e o piloto da Honda abriu pista, o que não é a situação mais cômoda pois não há nenhuma referência a seguir além do roadmap. Coma saiu 2min após. Pois Barreda parou no Km30, tirou o capacete e esperou a KTM passar e grudar atrás dela. Vejam a diferença entre Coma e Barreda a partir do WP1:
WP1 - 02:25
WP2 - 02:27
WP3 - 02:20
WP4 - 02:16
WP5 - 02:16
WP6 - 02:09
WP7 - 02:21
WP8 - 02:22
WP9 - 02:26
WP10 - 02:20
WPA - 02:16

Alguns apostam que a estratégia de Barreda pode ser esta até o final.
Será?

Mais notícias sobre Chaleco Lopez.
O problema no joelho do chileno é bem grava. O médico disse que ele não deve voltar a correr mais de moto. Existem rumores que em 2016 ele vem pro dakar de carro. Vamos aguardar e ver, torcendo para que ele não fique longe desta que é a maior aventura off-road.

Até o próximo!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Dakar 2015 - Um terço já foi

Olá Pessoal!

Se considerarmos o total de 4578Km cronometrados, ao finalizar a quarta etapa os competidores cumpriram 28% do percurso, e quando você estiver lendo este post a etapa de hoje, de 458Km, já estará em curso, podemos dizer que o primeiro terço do Dakar 2015 já passou.

E "Dinamita" Barreda continua mantendo a Honda na frente!


115 pilotos completaram a quarta etapa, e isso quer dizer que estes primeiros 28% do Dakar já derrubaram 28%dos pilotos. Se continuar assim não vai ter pódio (rsrsrsrs).
Uma destas baixas foi o falecimento do piloto polonês Michal Hernik que pilotava uma KTM com o número 82. O piloto foi encontrado já sem vida no km206 da etapa cronometrada, sem nenhuma lesão externa ou evidência de acidente. Ainda não foi divulgada oficialmente a causa da morte mas as probabilidades apontam para algo relacionado com desidratação.
As condições nos levam a imaginar uma combinação de fadiga, calor e desidratação, o que pode levar à insolação, que é a falha do nosso organismo em regular a temperatura no calor, com altas taxas de mortalidade quando não é tratada adequadamente ou quando o diagnóstico é tardio. O tratamento da insolação é o resfriamento ativo (imersão em água fria), o mais rápido possível. A taxa de sobrevivência é de 90-95% quando o resfriamento é realizado rapidamente. Entretanto, se for tardio e a temperatura corporal ultrapassar 42° C, a mortalidade atinge 80%. A insolação é uma emergência real na qual cada minuto de atraso no tratamento reduz a probabilidade de uma boa evolução.
A organização foi bastante criticada pelos riscos desta etapa.
A etapa entre San juan e Chilecito teve um primeiro enlace de 258Km, um segundo de 548Km e uma especial de 284Km que contornou a noroeste o parque Talampaya. A largada da especial foi nas cercanias da cidade de San Jose Jachal, que se liga à Chilecito pela ruta 40, a mesma que vai passar por Bariloche e chear a Rio Gallegos no extremo sul da Argentina. Nesta duas cidades as máximas históricas ficam em torno dos 35° mas os pilotos reportaram marcas de 50° durante a especial.
Quem lembra do ano passado?
A quarta etapa também foi entre San Juan e Chilecito e foi nela que a Honda de Paulo Gonçalves incendiou. Os pilotos classificaram aquela etapa de terrível e desumana. Acho que os adjetivos podem servir para 2015 também.
Particularmente, acredito que dispomos de tecnologia suficiente pára permitir à organização um acompanhamento mais adequado dos competidores e uma resposta mais rápida e eficiente nos casos de acidente.
O Dakar já contabiliza mais de 50 mortes em sua história.
Lamentamos.



Após esta quarta etapa temos 6 KTM, 3 Honda e uma Sherco nas 10 primeiras posições.
Laia Sanz conquistou a 12ª posição na classificação geral após terminar a etapa em 8°.


Paulo Gonçalves, apesar de terminar a etapa em 12° mantém a 3ª posição na classificação geral ainda à frente de Ruben Faria e 12min atrás de Marc Coma.


David Casteu foi o 16° na etapa e está em 13° na geral.


E Jean de Azevedo passou o WPA em 27° e está em 29° na geral.


O Jean, não deu pra arranjar outro número não (rsrsrsrs)?

Seguimos acompanhando.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Dakar 2015

Olá pessoal!

Já está rolando a 35ª edição do maior desafio off road da atualidade - O Rally Dakar.
Este ano os cerca de 9000km serão percorridos entre Argentina, Chile e Bolívia, com largada e chegada em Buenos Aires.
Por enquanto a agitação corre por conta das 2 etapas Marathon. Carros e caminhões não realizam este tipo de desafio desde 2005.
Como todos já sabem, este ano estamos livres de FDP Despress que resolveu pilotar um Peugeot.
Os nomes mais promiossores são Marc Coma, Joan Barreda, Ollivier Pain, Jordi Viladoms, Helder Rodrigues, Sam Sunderland, Jeremias Israel e Paulo Gonçalves, mas não devemos esquecer de David Casteu, Juan Pedrero, Ruben Faria, Laia Sanz e Jean de Azevedo único brasileiro nas motos. 
Sentimos falta de Chaleco Lopez. O chileno operou o joelho e fica de fora este ano.
Acontecem 3 "largadas". Uma chamada de Largada Promocional, que aconteceu na frente da Casa Rosada dia 03/01, outra que foi a largada para o enlace da primeira etapa, dia 04/01 no "Tecnopolis", um centro de exposições localizado em Villa Martellie, a 20min da Casa Rosada, e outra "de verdade" dia 04/01 na cidade de Baradero, distante 151km da Casa Rosada, que foi a largada para os 175km da primeira especial cronometrada.
Largaram 161 pilotos, sendo 91 KTM, 18 Honda, 27 Yamaha, 8 Kawasaki, 5 Husqvarna, 4 Sherco, 3 GasGas, 2 Suzuki e 2 Husaberg.
A primeira etapa foi vencida por Sunderland, seguido por Paulo Gonçalves (00:00:05), Marc Coma (00:01:12) e Barreda (00:01:41).
Casteu chegou em 7º (00:02:36), Laia em 16º (00:04:46) e Jean de Azevedo em 26º (00:06:36).
A etapa foi marcada pela brilhante estréia de Marc Sunderland. O inglês passou na frente em todos os CPs e venceu de ponta a ponta.


A segunda etapa, de ontem, foi mais longa. Os 518km de especial foram vencidos pelo espanhol Joan Barreda, de apelido "Bang Bang" ou Dinamita, seguido por Paulo Gonçalves (00:06:13) e Ruben Faria (00:09:16).
Coma terminou em 8º, Casteu em 15º, Laia em 16º e Jean de Azevedo em 30º.
Sunderland teve problemas com a navegação depois do CP3 e perdeu muito tempo, passando pelo CP4 somente depois dos líderes já terem condluído a etapa.
Coma passou em segundo no último CP mas teve problemas com um pneu e precisou aliviar no final. 
A classificação geral depois da segunda etapa é a seguinte:
1 BARREDA BORT (ESP) HONDA 007:06:44
2 GONÇALVES (PRT) HONDA +00:04:37
3 FARIA (PRT) KTM +00:10:37
4 VILADOMS (ESP) KTM +00:11:24
5 PRICE (AUS) KTM +00:11:32
6 COMA (ESP) KTM +00:12:03
7 WALKNER (AUT) KTM +00:12:26
8 RODRIGUES (PRT) HONDA +00:13:26
9 ISRAEL ESQUERRE (CHL) HONDA +00:16:24

10 PEDRERO GARCIA (ESP) YAMAHA +00:19:34
15 DAVID CASTEU (FRA) KTM +00:23:20

16 LAIA SANZ (ESP) HONDA +00:23:34
30 JEAN DE AZEVEDO (BRA) HONDA +00:51:45

A etapa de hoje, entre San Juan e Chilecito, está em curso.
Boa parte dos pilotos já passou pelo CP4, último antes da chegada.
Joan Barreda segue liderando, seguido por Paulo Gonçalves e o australiano Toby Price.

Será que este vai ser o ano da Honda?
Será que a longa hegemonia da KTM vai finalmente ser quebrada?

Vamos acompanhar.