sexta-feira, 19 de novembro de 2010

XTZ 250... pobrezinha!!! de Ténéré mesmo só veio o nome...

Então... já está nas concessionárias a nova Yamaha XTZ 250 Ténéré, exclusiva para o mercado brasileiro.
Como diz o nosso amigo Ruy, "uma bicicletinha".
Todo mundo esperava, pelo menos, uma versão Ténéré da 660, mas a "pobrezinha" veio 250...

Mesmo motorzinho da Lander, espremido para dar 21cv, e tanquinho de 16l.
No Brasil família Ténéré ficou conhecido pelas saudosas Ténéré 600 e a Super Ténéré 750, que até hoje são sinônimo de aventura.
Eu mesmo tive uma 2GV 1990 antes do Cagivão. Com ela qual fui ao Uruguay e passei gostosos 15 dias pescando e acampando, mas essa história é meio longa e fica para outro post...

Yamaha e Ténéré tem uma história originalmente bastante ligada ao Dakar.
A Yamaha foi a vencedora da primeira edição em 1979 com uma XT500 pilotada por Ciryl Neveu, e fez a festa na década de 90, quando só perdeu para a Cagiva (huhuuuu!!!).
As primeiras Ténéré foram produzidas em 1983.
Seguiram sendo produzidas até 1993. Dizem que lá fora ainda se produziu até 1996, mas em terras tupiniquins, depois de 93 só a 750 Super, que sobreviveu até 1996 (aquela roxinha... lembram?).

E recentemente a Yamaha resolveu então relançar a "brand" Ténéré, com a Super1200 e a 660.


Que mania que brasileiro tem de pensar pequeno né...

até o próximo!

PS. (21/11 13h49) - Alguém assistiu a reportagem do Auto Esporte na Rede Globo? Algum comentário?

3 comentários:

FBM Motos disse...

Vamos esperar, quem sabe as 600 voltem.

E900 disse...

É... quem sabe...
Será que o problema é concorrer com a V-Strom 650 ou com a GS 650 custando R$29mil? A XT660 já custa 28!!!

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

Até que a Ténéré de bolso não é de todo ruim, tem uma ergonomia adequada e não chega a ser tão apagada. Claro que não tem como esperar o desempenho de uma bigtrail legítima, mas me parece uma alternativa adequada para o uso urbano e eventuais viagens em rodovia ou até mesmo algumas picadas rurais...