domingo, 18 de outubro de 2009

Na estrada dia 5 & 6

Desculpem pela ausência, mas só consegui conexão agora, pois em São Thomé das Letras, conexão com internet só se for por abdução.
Vamos lá...
Depois de limpar meu nome na praça de São Lourenço, pagando o almoço fiado, fomos dormir, e hoje cedo, quer dizer, mais ou menos cedo, arrumamos as coisas e seguimos com destino a São Thomé das Letras.
Fomos de São Lourenço à Caxambu, e daí à Cruzilha.

De Cruzilha à São Thomé foram cerca de 40Km de estrada de chão. Chegamos à São Thomé por volta das 15h e nos hospedamos na Pousada Arco-Iris.

São Thomé das Letras é um mundo à parte. Uma cidadezinha de 6 mil habitantes (contando a população rural), encravada no alto da serra à 1440m de altitude, onde grande parte das casas e todo o calçamento das ruas é feito em pedras de quartzito.

Conta a lenda, que um escravo fugido refugiou-se em uma gruta, e passou a viver do que a natureza lhe oferecia, quando, certo dia, lhe apareceu um senhor em vestes brancas que lhe ofereceu uma carta para que fosse entregue ao seu senhorio, que lhe daria a certeza do perdão. E assim fez o escravo. O senhorio foi conhecer a gruta e nela encontrou uma imagem de São Thomé, além de inscrições semelhantes à letras. Ao lado da gruta foi erguida uma capela, que posteriormente foi substituída pela atual igreja matriz. A gruta é o ponto central de visitação, mas está longe de ser o único. São inúmeras cachoeiras, grutas e cavernas, e conta outra lenda, que uma destas cavernas liga São Thomé a Machu-Pichu (é mole!).

E logo ao chegarmos à cidade nos abordou um guia, de nome Juvenal, que garantiu conhecer a entrada da tal caverna.
Pensa que acabou? que nada! Tem um discoporto (aeroporto para discos voadores), a pedra da bruxa, a casa da pirâmide, ladeira do amendoim (onde um carro desengatado ao invés de descer a ladeira, sobe!), um sem-número de comércios com nomes como "Reino dos Magos", "Senhor dos Anéis", "Montanha Mágica", "O Alquimista", "Xamãs", "Bicho Grilo", e por ai vai...
Jantamos no restaurante O Alquimista, e experimentamos um prato chamado "Tutu de Feijão", num ambiente simples e rústico, com o detalhe de um gato preto que ficava passeando nos caibros do telhado.
E ainda tínhamos convite para visitar o "Bar dos Gnomos", experimentar drinks exóticos e curtir a apresentação da banda "Cabelinhos da Lua", mas o cançasso nos venceu e fomos dormir com os duendes, pois onde nos hospedamos estava cheio deles...
Povo estranho este de São Thomé...
No dia seguinte seguiríamos para Tiradentes, mas isto eu conto em outro post.

Até o próximo.

5 comentários:

BananaCraft disse...

Uau! Adorei o pouquinho que vi da viagem. E mais ainda a carinha de felicidade da Carla :)

Adriana Vilela disse...

E a viagem continua cheia de conhecimento, explorando os cantinhos das cidadezinhas mineiras!
A Carla está ótima nas fotos!!!!
Espero que na próxima cidade o pessoal não seja tão "estranho", HUMF, Magoei de novo :<

Anônimo disse...

Vcs viram algum ET? ou vários disfarçados na rua?
Adorei esta parte da viagem! rs
Beijocas ...Heidi

E900 disse...

Adriana, fique tranqüila... só encontramos gente boa, todos solícitos, hospitaleiros, gentis, e sempre com um sorriso no rosto. Já tínhamos uma boa impressão deste povo das Minas Gerais, e durante esta viagem a impressão só melhora a cada dia!

Adriana Vilela disse...

Ufaaaaaaaaaaaaaa, agora tô mais carma, rssss